SAAP

A água é um recurso valioso e vital para a vida humana, porém se não for devidamente aproveitado poderá ser insuficiente para atender às exigências de uma população cada vez mais dependente deste recurso.

Devido ao grave problema de escassez de água potável que se assiste, a discussão acerca de novas formas de captação, armazenamento e aproveitamento de águas pluviais tem vindo a adquirir uma importância cada vez maior. Assim, a utilização das águas pluviais surge como uma fonte alternativa de água que poderá contribuir para reduzir este problema.

Dentro deste contexto, aparece o sistema de aproveitamento de águas pluviais (SAAP). O SAAP é um sistema que aproveita e recupera as águas pluviais como um meio ecológico de utilização contínua e renovada de um bem essencial.

 

Fig.1 – Instalação de um SAAP numa casa particular.

(Fonte: http://casa.abril.ig.com.br/imagem/info2. )

 

Componentes de um SAAP

De um modo geral, os sistemas de aproveitamento de águas pluviais são constituídos por componentes básicas que servem cada uma das seguintes funções:

 

· Captação: inclui a superfície sobre a qual a chuva cai – a superfície de recolha ou captação (cobertura dos edifícios e garagens, terraços, pátios,…);

 

· Transporte: é constituído pelas componentes que encaminham a água do telhado para o tanque –  as caleiras e os tubos de queda;

 

· Filtração: abrange os dispositivos que removem detritos e poeiras da água pluvial captada antes de esta ir para o tanque, como por exemplo os crivos de folhas – os desviadores de primeiro fluxo e os dispositivos de filtração;

 

· Armazenamento: engloba um ou mais tanques de armazenamento que também, podem ser denominados de cisternas (poderão ser ou não subterrâneos);

 

· Distribuição: é o sistema de transporte da água pluvial para o seu uso final através da

bombagem ou gravidade;

 

· Tratamento: apesar de particularmente relevante no caso dos sistemas potáveis, para os usos não potáveis, esta etapa inclui normalmente apenas a remoção de sólidos.

 

Funcionamento geral

A água da chuva (juntamente com sedimentos, folhas e detritos) é recolhida do telhado pelas caleiras. Em seguida é canalizada através dos tubos de queda, passando por um sistema de filtragem que lhe retira os sedimentos e impurezas antes de ser recolhida no reservatório de armazenamento. A partir deste reservatório, a água pode ser utilizada para fins não potáveis (sistemas de rega, águas sanitárias, etc..).

 

Este tipo de sistemas são cada vez mais utilizados na actualidade.  Contudo, em virtude de ser necessário algum investimento num sistema destes, é necessário avaliar, em cada situação particular, os benefícios potenciais em função da capacidade de armazenamento de modo a determinar a viabilidade do sistema. 

Assim sendo, o objectivo geral do nosso projecto é avaliar a viabilidade de um SAAP implementado para satisfazer algumas necessidades hídricas da comunidade escolar, nomeadamente as não potáveis (por exemplo, lavagem de pavimentos, descarga de autoclismos, rega de plantas e jardins,…).


About this entry